Ir para o conteúdo

Prefeitura Municipal de Santo André e os cookies: nosso site usa cookies para melhorar a sua experiência de navegação. Ao continuar você concorda com a nossa Política de Cookies e Privacidade.
ACEITAR
PERSONALIZAR
Política de Cookies e Privacidade
Personalize as suas preferências de cookies.

Clique aqui e consulte nossas políticas.
Cookies necessários
Cookies de estatísticas
SALVAR
Prefeitura Municipal de Santo André
Acompanhe-nos:
Rede Social Facebook
Rede Social Instagram
Rede Social Youtube
Notícias
Enviar para um amigo!
Indique essa página para um amigo com seus dados
Obs: campos com asterisco () são obrigatórios.
Enviando indicação. Por favor, aguarde...
DEZ
06
06 DEZ 2023
Estudantes visitam Centro de Resiliência da Defesa Civil de Santo André
enviar para um amigo
receba notícias
Alunos da UFABC, da USP São Carlos e da Etec Lauro Gomes conheceram estrutura e funcionamento do departamento
 
Santo André, 6 de dezembro de 2023 – O Departamento de Proteção e Defesa Civil da Secretaria de Infraestrutura e Serviços Urbanos de Santo André está empenhado com o início do POCV (Programa Operação Chuvas de Verão) 2023/2024. Simultaneamente, porém, segue realizando seu trabalho de difundir informações e tem recebido estudantes universitários e de ensino médio no Centro de Resiliência às Emergências da Defesa Civil. 
 
Alunos do curso de Engenharia Ambiental da UFABC e da USP (Universidade de São Paulo) campus São Carlos, além de jovens do curso técnico ambiental da Etec (Escola Técnica Estadual) Lauro Gomes visitaram o espaço nos últimos dias e puderam conhecer de perto como funciona, o que faz, qual a estrutura e todos os serviços prestados pela Defesa Civil.
 
“A importância de recebermos esses estudantes está diretamente relacionada às mudanças climáticas e aos eventos extremos que estamos enfrentando. As universidades são parceiras das Defesas Civis, porque dali a gente espera que venham soluções para nos ajudar, para auxiliar os órgãos públicos neste enfrentamento dos desastres. E também para buscar parcerias para nosso Centro de Resiliência às Emergências da Defesa Civil, que nasceu com esse intuito: ser uma incubadora de projetos acessíveis a todas as Defesas Civis, porque desastre não tem fronteiras, então buscamos que eles conheçam nosso trabalho, parcerias e a disseminação do assunto relacionado à percepção de riscos e desastres”, explica a diretora do Departamento de Proteção e Defesa Civil, Priscila Oliveira.
 
“Quanto mais conhecimento a gente gerar na população, mais fácil vamos passar por essas mudanças e esses eventos que estão acontecendo no Brasil como um todo”, emendou a diretora.
 
Os estudantes assistiram a uma palestra em que foi explicado o que faz diariamente a Defesa Civil, tanto no trabalho de prevenção quanto em relação às atividades pós-desastres. Depois, conheceram os setores do Centro de Resiliência, incluindo os equipamentos e a estação meteorológica.
 
“A razão da nossa visita é que temos trabalhado de forma bastante extensa com os municípios do ABC, por todo exemplo de organização e planejamento que existe, que é modelo para o país. Então a ideia foi trazer perspectiva regional e local das questões de gestão associadas às mudanças climáticas. Visitamos o Consórcio Intermunicipal e viemos à Defesa Civil para compreender as ações de gestão de risco e as tecnologias tanto construídas pela Prefeitura quanto incorporadas à gestão. E foi um aprendizado muito rico”, destacou o professor da USP São Carlos, Marcel Fantin, que acompanhou os 40 estudantes vindos da cidade do Interior.
 
“Tivemos uma recepção fantástica. Ter uma perspectiva da diversidade de ações e sistemas de planejamentos da Defesa Civil é impressionante. As câmeras, o controle do processo de prevenção, como atuam as equipes no pós-desastre. Então foi muito interessante. A gente fala da importância da visita de campo, de internalizar e compreender isso estando no local, e aqui foi uma experiência riquíssima”, complementou o docente.
 
Priscila Oliveira ainda destacou o sentimento de poder realizar este trabalho de apresentar a casa e o modus operandi da Defesa Civil andreense. “É um trabalho que a gente faz com muito orgulho, porque aqui eles verificam que o trabalho da Defesa Civil não é só depois do acontecido, que temos fases preventivas, que nossas principais ações são para diminuir os riscos, e Santo André está muito bem equipada. Estamos buscando tecnologias para atender melhor a população”, finalizou a diretora.
 
Crianças – Durante os meses de abril e outubro de 2023, o Departamento de Proteção e Defesa Civil levou o projeto ‘Andrezinho e a Turma da Defesa Civil’ para as escolas da rede municipal de ensino da cidade. De maneira lúdica, com personagens, fantoche e gincana, a iniciativa levou informações e ensinamentos sobre riscos e desastres, alcançando 7.050 estudantes do 3º e 4º ano do ensino fundamental (alunos entre 8 e 10 anos) em 41 unidades escolares.

| Texto: Dérek Bittencourt
dcbittencourt@santoandre.sp.gov.br
| Foto: Alex Cavanha/PSA
Seta
Versão do Sistema: 3.4.0 - 05/02/2024
Copyright Instar - 2006-2024. Todos os direitos reservados - Instar Tecnologia Instar Tecnologia